Jetstortopia

O futuro dos consoles de games (2): a última geração?

Posted on: 14/11/2013


A um dia do lançamento norteamericano do novo console da Sony – o Playstation 4 (já em pré-venda e o qual será lançado por aqui em 29/11), e a oito dias do lançamento do novo console da Microsoft – o Xbox One (também em pré-venda, com lançamento simultâneo no Brasil), o universo dos videogames – desenvolvedores, produtoras, jornalistas e jogadores – encontra-se em seu estágio máximo de excitação, e não sem motivo: serão os consoles mais poderosos, tecnologicamente avançados e socialmente integrados já produzidos.

PS4, Xbox One, Wii U

Adicionando-se ao já lançado Wii U da Nintendo (recém-lançado oficialmente no Brasil) e às futuramente prometidas Steam Machines da Valve, esta 8a geração de consoles promete ser uma das mais impactantes e mais disputadas de todos os tempos, reeditando a velha e boa “guerra dos consoles” que atingiu seu ápice na primeira metade dos 90s com a disputa entre o Megadrive da Sega e o SNES da Nintendo. Porém alguns analistas de mercado arriscam dizer que está poderá ser a última…

Controles - Wii U, PS4, Xbox One

Segundo matéria do site VG24/7 o renomado analista de mercado Michael Pachter prevê um futuro sombrio para o Wii U devido ao hardware mais fraco e falta de suporte das third-parties, com projeção de vendas totais de 30 milhões de unidades em se ciclo de vida (para efeito de comparação o antecessor Wii vendeu mais de 100 milhões) e arrisca que o PS4 deverá vender mais do que o Xbox One num total de até 120 e 100 milhões de unidades respectivamente, devido ao preço mais alto do último (no mercado internacional, ao contrário daqui) e à rejeição ao Kinect por boa parte dos jogadores. Mas isso não evita que faça um prognóstico nada animador para o futuro dos consoles:

Não creio que o mercado de consoles cresça mais. A base instalada atingiu seu pico e os consoles podem não ser mais relevantes em dez anos. O mercado foi expandido além dos consumidores hardcore [mas] agora temos dez vezes esse público na internet, e seis vezes esse público nos dispositivos móveis. Acredito que um dia poderemos jogar qualquer jogo, em qualquer lugar, em qualquer aparelho.

Mobile vs Consoles

O fato da universalização do acesso online e do advento da mobilidade parece não passar desapercebido ao presidente da Sony Wordwide Studios Shuhei Yoshida, o qual numa recente entrevista ao site IGN comentou que:

Quando você olha a situação da Nintendo, a caracterizaria como nosso competidor? Acredito que na escala maior das coisas, no tocante à indústria de tecnologia e à vida das pessoas, como elas jogam e em quais dispositivos elas aprendem a jogar, acredito que ambos [Nintendo e Sony] estamos do mesmo lado. Precisamos que a Nintendo seja bem sucedida na criação de consumidores que gostem de jogar [consoles] com controles, certo?

Shuhei Yoshida @ Sony Worwide Studios

Yoshida estabelece claramente que a disputa se dá entre jogos casuais e mobilidade de um lado, o que favoreceria empresas como Apple, Google e Samsung dentre outras, e o tradicional modelo console-controle em que Sony, Microsoft, Nintendo e Valve apostam, sem falar do decisivo mercado dos PCs que pode ser considerado mais alinhado às últimas do que às primeiras.

O panorama do futuro dos videogames daqui a meros anos está sendo moldado agora a partir da dura disputa por corações, mentes e especialmente mãos dos jogadores: como você prefere jogar?

Controles

*****

Atualização 15/11/13 – O editor associado do site CVG UK Rob Crossley parece concordar que a campanha de lançamento do PS4 focada no core gamer indica que:

A Sony sabe que um mercado potencial maior já não existe mais. E se isso for verdade, e há razão para acreditar que sim, dessa vez a competição será mais apertada e as consequências de uma falha muito mais impiedosas.

Será por isso que a Microsoft de forma inédita veio a congratular seu oponente através de um recente post no Twitter?:

Microsoft congratula Sony

Enquanto isso, o presidente da Sony Computer Entertainment da America Jack Tretton discorda de qualquer previsão catastrófica a respeito do futuro dos consoles:

Ouço sobre a última geração dos consoles desde que entrei no negócio nos 80s quando se dizia que os computadores pessoais iriam tomar conta, e agora são os smartphones e tablets. Há uma razão de ser dos consoles: sentar num sofá defronte de uma tela grande de TV ao lado de seus amigos.

Você não irá conseguir a profundidade imersiva e a experiência social de jogar em sua sala de estar  agrupando-se em torno de um tablet. Há uma limitação do que se pode fazer num dispositivo móvel e este é o mesmo motivo que o leva a assistir um filme no cinema. Quem joga em consoles busca melhores controles, mais tecnologia e uma experiência mais imersiva.

E, com certeza, essa é a mesma opinião deste blog…

Tetris no sofá

2 Respostas to "O futuro dos consoles de games (2): a última geração?"

Excelente reflexão, mas tenho que discordar da opinião do blog…
O futuro dos consoles Sony, Microsoft e Nitendo é sombrio. Quando a Valve chegar com as Steam Machines, onde o usuário poderá acessar a sua conta Steam com toda sua biblioteca de jogos na sala de estar, irá erradicar com os concorrentes. Porque pagar R$ 199,00 por um jogo de console se você pode comprar o mesmo jogo em promoção na Steam por muito menos, jogando ainda com gráficos melhores? Bioshock Infinite e Far Cry 3, blockbusters da 2k e Ubisoft, puderam ser encontrados por R$ 22,00 e R$ 14,00, respectivamente, na promoção de fim de ano 2013 da Steam.
Mas isso é apenas um detalhe. Quando se compra uma licença de jogo na Steam, pode-se ficar com o jogo para sempre, mesmo que troque de hardware. Ao contrário das concorrentes. Exemplo: Se o usuário quiser jogar novamente um jogo de PS3 após ter comprado o PS4, ou ele compra de novo o mesmo jogo para o PS4 ou entulha sua sala mantendo o PS3 também. Caso venda o PS3, o dono do console tem que dar adeus também a todos os jogos digitais comprados, porque eles não terão valor de download no PS4.
O consoles atuais viverão apenas de exclusivos, o que é lamentável para o bolso do gamer que aprecia jogos como Uncharted, Halo e Zelda…
O presidente da Sony esqueceu de mencionar que no PC também obtemos experiências imersivas em games e, principalmente, melhores controles em FPS e RTS, que as Steam Machines prometem levar para a sala de estar. Gordon Freeman vai chegar impiedoso desta vez!

Curtir

Anselmo, vc com certeza não está sozinho, grande parte dos comentaristas que andei lendo nos últimos tempos acompanham sua opinião. Concordo que o resultado do impacto da chegada das Steam Machines será decisivo para o futuro dos consoles. Obrigado pela visita e um abraço!

Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Banner

Adicione nosso banner

Translate

Traducir - Übersetzen - Traduire - Tradurre - Přeložit - 翻訳する - μεταφράζω

Do quê você é fã?:

Insira seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 422 outros seguidores

Enquete:

Tweets + recentes:

Para ler quadrinhos no PC:

Considero o CDisplay a melhor opção no Windows 2000-XP-Vista-7

Para ler quadrinhos no Android:

O Perfect Viewer é o meu preferido dentre as várias opções no Android

Para ler quadrinhos no Mac:

O Sequential 2 é uma boa opção - testado no MacOS 10.6

Para ler quadrinhos no iPad:

Aguardando apenas a doação de um iPad para testar o Comic Zeal

Para ler quadrinhos no Linux:

No link acima há instruções de instalação e packages para diversos distros

Para ler quadrinhos no Windows Phone:

Não testado mas bem recomendado na app store

%d blogueiros gostam disto: