Jetstortopia


A conferência pré E3 2017 da Microsoft acabou de ocorrer e logo de cara Phil Spencer, chefe da divisão Xbox da Microsoft & da Microsoft Studios, revelou para o mundo o que era mais aguardado em termos de hardware por parte da companhia – o Xbox Scorpio será lançado em novembro deste ano como o console mais poderoso já produzido e irá chamar-se Xbox One X, custando U$499.

Outra ótima notícia, agora para os retrogamers, é a extensão do programa de retrocompatibilidade do Xbox Oneapesar da polêmica de que apenas uma pequena parte dos donos do console utilizem a função, Phil Spencer revelou que de fato mais da metade do gamers já jogou algum dos mais de 300 títulos de Xbox 360 disponíveis até agora – aos quais irão se somar ainda este ano jogos do Xbox original, num ótimo compromisso renovado pela empresa de preservação e disponibilização de pérolas gamísticas para as novas gerações.

Confirmando sua capacidade de rodar jogos em 4K nativo e revelando um total de 42 novos jogos sendo 22 exclusivos, o show começou com o novo Forza Motorsport 7 da Turn 10 apresentando um novo modelo de Porsche ao vivo no palco e rodando a 60 fps, com lançamento previsto para outubro deste ano – seguido pela demo de Assassins Creed Origins da Ubisoft e os exclusivos e aguardados Sea of Thieves da Rare e Cuphead do Studio MDHR, além do novo jogo de ação Anthem da Bioware, dentre inúmeros outros.


A cantora e dançarina principal do supergrupo de K-Pop SNSD Girls Generation Kim Hyoyeon acaba de lançar seu segundo trabalho solo intitulado Wannabe – já disponível no iTunescujo MV pode ser apreciado abaixo:


Ulalá, a carismática personagem principal do fantástico game de ação musical Space Channel 5, criado pelo genial Tetsuya Mizoguchi – original do Sega Dreamcast com duas edições e diversos relançamentos posterioresganhou uma incrível action figure pela japonesa Max Factory, através do selo Figma, segundo o site Kotaku.

Em duas edições de diferentes figurinos, Cheery White e Exciting Orange – bastante fiéis ao originais e acompanhada pelos divertidos inimigos Morolians, do primeiro jogo – Ulalá está pronta para novamente defender a galáxia sem perder o ritmo:


Fui um entusiasta de primeira hora desde que foi anunciado ano passado o lançamento de uma nova versão do Megadrive em 2017,  como parte do projeto comemorativo dos 30 anos da fundação da Tectoy e da parceria com a Sega, e agora que tenho o console e mãos posso dizer que valeu a pena apostar na pré-venda – trata-se de um belo produto para colecionadores, retrogamers e fãs do console, à altura de seu legado.

Não se trata obviamente do mesmo aparelho lançado há 27 anos atrás no Brasil, mas de uma réplica extremamente fiel desde a arte da caixa até o acabamento do console e controle – o design de ambos sendo idêntico desde o formato e posicionamento dos botões liga-desliga, reset e volume de audio dos fones de ouvido até o formato e pegada do controle de 3 botões, quase idêntico ao original – as maiores diferenças sendo a opção de um acabamento fosco do corpo do console em oposição ao antigo mais brilhante, o console pesando um pouco menos que o original e o controle um pouco mais leve, com um D-pad ligeiramente mais duro e menos responsivo:

design idêntico ao original, do console ao controle

– roda ROMs e cartuchos originais e paralelos (somente versões BR e EUA, com algumas exceções)

– aceita controles originais e paralelos de 3 e 6 botões, dos modelos testados

– aceita cartucho Mega Everdrive (exceto ROMs de 32X)

– saída de video composto RCA/PAL-M (necessita adaptador para HDMI)

– gráficos e jogabilidade idênticos ao original nos jogos testados

– qualidade de áudio inferior ao original (varia de acordo com o jogo, podendo apresentar slowdowns e distorções)

– não aceita jogos de Master System, 32X e Sega/MegaCD ou seus respectivos acessórios e add-ons

– não possui capacidade para saves, screenshots ou cheats

Na traseira a maior novidade está na presença de um slot para cartão micro-SD, o qual já vem incluso de fábrica na capacidade de 8Gb e que contém os 22 jogos anunciados pela empresa em formato ROM que aparecem na interface gráfica ao ligar-se o aparelho (inexistente no original) – portanto além de aceitar cartuchos é possível adicionar-se mais jogos desde que sejam do próprio Megadrive (não roda ROMs de 32X ou Master System), no formato .BIN e que sejam releases americanos ou brasileiros (o mesmo valendo para os cartuchos).

Respeitando-se as caracteristicas acima os jogos em cartucho ou ROMs rodam perfeitamente no novo Megadrive sem nenhuma diferença perceptível em relação ao original seja nos gráficos,  framerate ou tempo de resposta dos comandos do controle – já o mesmo não pode ser dito do áudio, que varia do perfeito em alguns jogos à distorções bem perceptíveis em outros, ainda que toleráveis.

Em conclusão e reforçando o que foi dito no inicio, trata-se de um produto muito bem acabado, ainda que não perfeito – dado o desafio de reproduzir uma tecnologia de quase três décadas atrás com componentes atuais – mas capaz de satisfazer plenamente o desejo nostálgico dos fãs e colecionadores de retrogames.

*****


Muitos podem não lembrar ou saber mas em 1988 as gigantes Sony e Nintendo acertaram uma parceria para o desenvolvimento de um periférico que capacitaria o Super Nintendo – console de 16bit que seria lançado 2 anos depois – a rodar jogos, música e aplicativos em CD-ROM.

O Nintendo PlayStation Superdisc ou SNES-CD chegou a ser anunciado pela Sony na Consumer Electronics Show (CES) de 1991, porém para surpresa dos executivos da empresa a Nintendo anunciaria no mesmo evento que havia fechado uma parceria semelhante com a Philips – com quem considerou ser mais seguro se aliar por não concorrer diretamente no mercado, tanto em termos geográficos quanto de produtos – deixando a Sony definitivamente frustrada e na mão.

O protótipo já bem avançado teria, algum tempo depois, servido de base para se transformar no que viria a ser o primeiro console de videogames da companhia – o Sony Playstation, lançado em 1995 – o qual tomaria de assalto o mercado antes dominado pela antiga parceira, agora ironicamente tornada rival.

Porém  ele nunca tinha sido visto ao vivo – muito menos sido testado ou funcionando – até 2 anos atrás, quando uma matéria no GamesRadar dava conta de que um ex-funcionário de uma companhia terceirizada pela Sony havia encontrado em um depósito de descartes uma rara versão do protótipo que teria supostamente pertencido ao próprio Olaf Johanson,  presidente da Sony Interactive Entertainment Inc, divisão da Sony Corporation responsável pelo desenvolvimento e lançamento do Playstation:

Segundo uma recente postagem no GamesRadar o protótipo veio a ser cedido para análise para o programador e guru tecnológico Ben Heck, que após muitos esforços e mais de um mês trabalhando no dispositivo foi capaz de fazê-lo funcionar e mesmo rodar um jogo teste – confira no vídeo abaixo o passo a passo da proeza – um feito e tanto para uma relíquia lendária há mais de 20 anos jogada no lixo!


Nintendo by Lego (4)

Tweet de @Lord_Arse recupera postagem de um fã da Nintendo que criou um incrível obra inteiramente à base de peças de Lego inspirada nos personagens clássicos da companhia japonesa de games. 

A empreitada levou oito meses para ser realizada e consumiu 15 blocos base de 48×48 pinos, gerando um painel de 1,44 por 2,40 metros cujo resultado espetacular pode ser conferido abaixo – um objeto de desejo para a sala de jogos de qualquer retrogamer que se preze:

Nintendo by Lego (1)Nintendo by Lego (2)Nintendo by Lego (3)


A talentosa artista, designer e cantora sul-coreana Jessica Jung – ex membro do supergrupo de K-Pop SNSD Girls Generationlança em 18 de abril, data de seu aniversário, um novo single intitulado Because It’s Spring, disponível no iTunes e cujo MV já foi lançado por sua companhia Coridel Entertainment e pode ser apreciado abaixo:

Banner

Adicione nosso banner

Translate

Traducir - 번역 - Übersetzen - Traduire - Tradurre - 翻訳する - Přeložit - μεταφράζω - 翻译

Do quê você é fã?:

Insira seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 461 outros seguidores

Enquete:

Tweets + recentes:

Para ler quadrinhos no PC:

Considero o CDisplay a melhor opção no Windows 2000-XP-Vista-7

Para ler quadrinhos no Android:

O Perfect Viewer é o meu preferido dentre as várias opções no Android

Para ler quadrinhos no Mac:

O Sequential 2 é uma boa opção - testado no MacOS 10.6

Para ler quadrinhos no iPad:

Aguardando apenas a doação de um iPad para testar o Comic Zeal

Para ler quadrinhos no Linux:

No link acima há instruções de instalação e packages para diversos distros

Para ler quadrinhos no Windows Phone:

Não testado mas bem recomendado na app store

%d blogueiros gostam disto: