Jetstortopia

Posts Tagged ‘pop


O supergrupo de K-Pop SNSD Girls Generation está completando dez incríveis anos de uma trajetória espetacular no cenário da música pop coreana e internacional e dará início às celebrações com um encontro de fãs em agosto  denominado ‘Holiday to Remember’, além de estar em preparação de seu 6o álbum completo a ser divulgado.

Enquanto isso fique com videos e fotos da recente apresentação das meninas no ‘SMTown World Live Tour VI in Seoul’.

 

Anúncios

jessica-jung

jessica-jung-wonderlandApós um belo trabalho de estréia a cantora coreano-americana Jessica Jung dá continuidade à sua carreira artística musical com o lançamento de seu segundo EP intitulado “Wonderland”, pela produtora Coridel Entertainment e disponível no iTunesFique abaixo com o vídeo e mais imagens:

*****

jessica-jung-wonderland7jessica-jung-wonderland5jessica-jung-wonderland4jessica-jung-wonderland3


far-east-movement-identity-album-cover

A integrante do supergrupo de K-Pop SNSD – Girls Generation Tiffany Hwang está presente no video de Don’t Speak  –  faixa  do álbum ‘Identify’ do grupo Far East Movement lançado no último dia 21 de outubro em parceria com o DJ King Chain, disponível no iTunes – lançado nesta quinta-feira 08 de dezembro:

*****

Segundo o Instagram do grupo:

“Um frio congelante em Seoul, uma semana de preparação sem dormir, são 6 da manhã no set de gravação da última cena do video de ‘Don’t Speak’ do álbum ‘Identity’ – com Tiffany, a incrível equipe de Transparentfeed e os dançarinos que vararam noites para fazer disto algo especial […] Estamos muito animados para anunciar que a estréia se dará nesta quinta-feira nos canais da Billboard e Transparentfeed do Youtube”

ice-cold-in-seoul-a-week-of-preppin-with-no-sleep-6am-after-the-final-shot-on-set-for-dont-speak-dancers-that-worked-sleepless-nights-to-make-this-one-special-thank-u-guys-for-putting-ur-love-into-thfar-east-movement-feat-tiffany-dont-speak-mv-screenshot


10-highest-grossing-girl-group-tours-of-all-time

Artigo no site Celebmix dá destaque para as maiores arrecadações em turnês mundiais de Girls Groups em todos os tempos, segundo a Billboard e Pollstar, com os três primeiros lugares ocupados por TLC, Destiny’s Child e Spice Girls respectivamente – sendo as mesmas sem sombra de dúvida as maiores representantes da formação no Ocidente:

 

1. TLC – FanMail Tour (US$82.9 milhões)
2. Destiny’s Child – Destiny Fulfilled and Lovin’ It Tour (US$70.8 milhões)
3. Spice Girls – The Return Of The Spice Girls World Tour (US$70 milhões)
4. SNSD – Love & Peace Japan 3rd Tour (US$31.6 milhões) [*]
5. Little Mix – Get Weird Tour US$24.5 milhões)
6. SNSD – Phantasia Tour (22.3 milhões)  [**]
7. SNSD – Girls & Peace- 2nd Japan Tour (US$21.5 milhões)  [***]
8. SNSD – The First Japan Arena Tour (US$14.98 milhões)  [****]
9. SNSD – Girls and Peace World Tour (US$14.97 milhões)  [*****]
10. Pussycat Dolls – Doll Domination Tour (US$14.3 milhões)

 

snsd-10-highest-grossing-girl-group-tours-of-all-time

O que chama atenção de forma grata e satisfatória para nós é o fato da maior representante dos Girls Groups asiáticos  o supergrupo de K-Pop SNSD Girls Generation ocupar nada menos do que cinco posições no ranking, demonstrando sua força cultural e econômica e sua enorme contribuição na consolidação do gênero, globalmente. Assista abaixo alguns clipes de trechos das espetaculares turnês do grupo, ranqueadas acima:

*****

[*] Love & Peace Japan 3rd Tour

*****

[**] Phantasia Tour

*****

[***] Girls & Peace – 2nd Japan Tour

*****

[****] The First Japan Arena Tour

*****

[*****] Girls and Peace World Tour

 


Jessica Jung

Atualizado 19/05/16 – Após ter saído do supergrupo de K-Pop SNSD Girls Generation em 2014 para uma bem sucedida carreira como empresária e designer de sua grife Blanc & Eclair, a cantora coreano-americana Jessica Jung retoma sua carreira artística como o lançamento de “With Love, J” – seu primeiro trabalho solo que acaba de ser lançado pela produtora Coridel Entertainment. Fique abaixo com os videos de “Fly” e de “Love Me The Same”– duas das seis faixas do mini-álbum – e mais imagens: 

With Love, J -Album-Teaser 02With Love, J -Album-Teaser 03With Love, J -Album-Teaser 01


Mesmo sendo quatro anos mais novo que Michael Jackson (1958-2009), lembro-me bem na infância do impacto que era assistir as performances do astro na fase do Jackson Five: MJJ era já na época um verdadeiro fenômeno. Ainda que assistindo suas apresentações numa TV em preto e branco, onde quer que sua imagem era transmitida imediatamente atraia a atenção dos audientes seja pela voz estupenda, pela incrível capacidade interpretativa, marcante presença cênica ou intenso carisma.

No saguão de entrada do Teatro Bradesco em São Paulo, local da performance do “Tributo This Is It” na noite de 25 de setembro pp, uma exposição com variados itens alusivos á carreira de Michael Jackson – acima, material promocional da turnê ‘This Is It’

*****

Até mesmo o desenho animado do grupo, com as típicas limitações técnicas da época, era capaz de transmitir boa parte dessa magia, sendo tão divertido assistir á interpretação animada de ABC numa manhã de sábado quanto num show televisado na noite de domingo.

Dentre os itens mais divertidos encontram-se bonecos estilo superdeformed, game, chocolate, referências à Neverland e documento com assinatura do Rei do Pop

*****

Quando adolescente em plena era Disco acompanhei os hits da fase The Jacksons, quando MJJ e irmãos saíram da mítica gravadora Motown, sua casa desde a estréia em 1966, em busca de maior liberdade criativa e financeira. E principalmente dancei muito nas festas da época todos os sucessos do primeiro blockbuster solo Off The Wall (1979), com destaque para a música título e a revolucionária Don’t Stop Till Get Enough.

Toys representativos das diversas fases de Michael Jackson

*****

Já nos anos 80 lembro-me de aguardar com ansiedade o clipe de Thriller (1982) que passaria à noite no Fantástico e do assombro diante do curta metragem de qualidade cinematográfica nunca vista antes numa produção musical, o mesmo sucedendo-se no lançamento seguinte de Bad (1987): Michael Jackson se consolidava como um artista cada vez mais ímpar e genial.

Destaque para o diorama reproduzindo a imagem da capa do CD/DVD de ‘Dangerous’

*****

Com tudo isso ainda assim não poderia me considerar um fã, desses que caçasse qualquer aparição do artista em qualquer mídia ou fosse o primeiro da fila a comprar um CD ou DVD. Mas passei a ser algo parecido com isso por força da minha filha. Ela sim, por volta do lançamento de Dangerous (1991) e então com seus 7 anos, passou a ser fã incondicional de MJJ colecionando todas as suas obras, gravando tudo o que podia de suas aparições em arcaicos videocassetes, jogando repetidamente seu jogo no Megadrive ou repassando no espelho suas coreografias. Já eu, por força de sua insistência e paixão, fui me contagiando também, por tabela…

Game ‘Moonwalker’ para Master System – além desta e de uma ótima versão para Megadrive havia também uma boa porém diferente versão para Arcade, além de outras de variável qualidade para Game Gear, Amiga, Amstrad CPC, Atari ST, Commodore 64, PC, MSX e ZX Spectrum

*****

Tudo isso para dizer que, para nosso imenso prazer e alegria,  estivemos ela, nossa amiga Renata e eu presentes anteontem à noite no espetacular show “Tributo This Is It”. E posso assegurar que,exceto pelas insuperáveis apresentações do próprio artista, não deve existir nada mais próximo da experiência de vê-lo em cena do que este espetáculo.

Copos promocionais da turnê ‘Dangerous’ – como não poderia deixar de ser, minha filha tinha um desses, exatamente o rosa da frente

*****

Da cenografia á iluminação, da potência sonora aos efeitos especiais, o show reproduz com imensa qualidade o que teria sido a última e féerica aparição de MJJ aos palcos. Palmas para a coreografia e para os dançarinos, que executam de forma impecável números tão icônicos quanto a dança dos zumbis de Thriller ou as coreografias dos gângsteres de Smooth Criminal (com direito ao efeito The Lean, onde o corpo se projeta a 45°) e Dangerous.

Ingresso do espetáculo

*****

Palmas também para a fantástica banda que reproduz como todo o devido peso, pegada e precisão os arranjos tão elaborados quanto característicos das músicas (*) de MJJ, com destaque para as performances de Jam, Dangerous e Billie Jean e a participação especial de Vanessa Jackson em I Just Can’t Stop Loving You.

Logo no início do show – performance energética de Wanna Be Startin’ Something incendeia o palco e contagia a platéia

*****

E principalmente palmas ao dançarino e cantor Rodrigo Teaser, que não só interpreta o papel de Michael Jackson com imensa paixão e precisão próprias de quem é um profissional completo na plenitude da sua capacidade técnica, bem como é um verdadeiro artista à altura do legado do Rei do Pop.

Apesar da distância é possível distinguir no centro à D: Rodrigo Teaser como Michael Jackson (com o figurino característico do número –  jaqueta vermelha, blusa branca, calça preta e meias brancas) rodeado pelos bailarinos na performance de Thriller 

*****

Quem tiver a oportunidade e for fã de MJJ, recomendo que não perca por nada deste mundo…

O video é sofrível pois feito com um celular a partir da perspectiva de um mezanino – ainda assim é possível apreciar a espantosa performance corporal e vocal de Rodrigo Teaser interpretando Michael Jackson em “Billie Jean” – em especial quando o palco se ilumina – e principalmente a grande qualidade do som produzido pela banda

*****

[(*) SET LIST do show, de memória: Wanna Be Startin’ Something, Jam, Human Nature, The Way You Make me Feel, Smooth Criminal, Heal The World, They Don’t Care About Us, I Just Can’t Stop Loving You, Jackson 5 Medley, Beat It, Black or White, Dangerous, Billie Jean, Man In The Mirror]

(Contribuição nas fotos e set list da Fezin)


Na minha adolescência vivi dividido entre a MPB e a Disco Music, conforme comentei num post anterior. No último gênero meus artistas preferidos eram sem sombra de dúvida o Earth, Wind & Fire e Donna Summer, dos quais com muito esforço então consegui comprar 2 álbuns de cada. Ocorre que no caso dela eram álbuns duplos (os fenomenais e recordistas de vendas Live & More e Bad Girls) o que era na época, para quem se lembra do formato e do custo, uma verdadeira demonstração de apreço pelo artista possuí-los.

Dona de uma voz poderosa e presença sexy e magnética, Donna Summer era considerada a Rainha da Disco mas conseguiu sobreviver ao colapso do gênero por ter sido não só uma de suas maiores expoentes, bem como por ter influenciando grandes parcelas da pop music subsequente, em especial a Dance, tendo criado ao lado do produtor Giorgio Moroder algumas das obras mais seminais do gênero.  Fica aqui essa simples homenagem em função de seu falecimento em 17 pp, na forma das 5 músicas dela que mais me marcaram:

I Feel Love

Simplesmente uma obra prima que influencia (quase tanto quanto Kraftwerk) todo um gênero apesar do fiapo de letra, I Feel Love é toda sintetizada numa batida bastante acelerada para a época (1977) emoldurando uma interpretação diferente e etérea da cantora, que no seu conjunto prenunciava apenas uma coisa: o futuro é eletrônico e dançante.

MacArthur Park Suite

Um verdadeiro tour de force que tomava todo o lado A de um dos LPs que compunham o álbum duplo (1978), essa versão de uma balada de amor originalmente lançada em 1968 não só respeita a carga dramática original como a eleva a uma nova categoria graças à poderoso vocalização de Donna Summer, aliada ao mais delicioso arranjo Disco daqueles tempos.

Last Dance

O filme Thank God It´s Friday no qual Donna Summer participou em 1978 não chegou a fazer muito sucesso, mas isso não se deveu a sua trilha sonora perfeitamente afinada com o melhor do gênero na época (com contribuições de Santa Esmeralda, Commodores, Diana Ross e Thelma Houton, dentre outros). No entanto o ponto alto foi mesmo Last Dance, tendo sido considerada a canção preferida de seu repertório dessa época por ela mesmo. 

Dim All The Lights

Do álbum duplo Bad Girls (1979), um dos de maior sucesso da cantora, é uma missão difícil escolher uma música dentre tantos hits como Hot Stuff, There Will Always Be a You e a faixa título. Mas minha preferida é Dim All The Lights com seu início lento e climático preparando a explosão dançante que se segue, nada mais clássico e emblemático da época. 

Breakaway

Donna Summer soube adaptar sua carreira após o fim dos 70s e ainda que nunca tivesse novamente atingido  o sucesso daqueles tempos, teve um bom número de hits ao longo das décadas seguintes. Um bom exemplo é Breakaway lançada em 1989, que chegou a fazer mais sucesso por aqui do que nas paradas americanas, com seu feeling oitentista e levemente latino.


Banner

Adicione nosso banner

Translate

Traducir - 번역 - Übersetzen - Traduire - Tradurre - 翻訳する - Přeložit - μεταφράζω - 翻译

Do quê você é fã?:

Game OSTs:

Insira seu endereço de email para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 487 outros seguidores

Enquete:

Tweets + recentes:

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Para ler quadrinhos no PC:

Considero o CDisplay a melhor opção no Windows 2000-XP-Vista-7

Para ler quadrinhos no Android:

O Perfect Viewer é o meu preferido dentre as várias opções no Android

Para ler quadrinhos no Mac:

O Sequential 2 é uma boa opção - testado no MacOS 10.6

Para ler quadrinhos no iPad:

Aguardando apenas a doação de um iPad para testar o Comic Zeal

Para ler quadrinhos no Linux:

No link acima há instruções de instalação e packages para diversos distros

Para ler quadrinhos no Windows Phone:

Não testado mas bem recomendado na app store

%d blogueiros gostam disto: